Tóquio aprova lei que cria Ministério da Defesa

Uma emenda legal para transformar a atual Agência de Defesa do Japão em ministério foi aprovada nesta quinta-feira na Câmara Baixa do Parlamento e deve ser definitivamente confirmada em dezembro, informaram fontes oficiais.A lei foi aprovada pela aliança governista formada pelo Partido Liberal Democrático (PLD) e pelo budista Komeito, segundo a agência japonesa Kyodo. Os dois partidos juntos detêm a maioria no Parlamento.Os partidos da oposição tentaram bloquear a emenda devido a um escândalo relacionado com licitações. A maior força da oposição, o Partido Democrático do Japão (PDJ), porém, apoiou a medida. Mas pediu uma resolução que garanta um "estrito controle civil" dos assuntos de defesa.Atualmente, a agência é chefiada por um secretário de Estado. Com a nova lei, terá uma estrutura igual aos outros ministérios. O futuro ministro da Defesa terá o poder de convocar uma reunião de governo, propor leis e solicitar orçamentos.A modificação eleva também à categoria de "funções principais" as operações internacionais de paz e de apoio logístico realizadas até agora como atividades secundárias pelo Exército japonês.A Constituição japonesa, redigida pelas Forças de Ocupação após a Segunda Guerra Mundial, proíbe a participação do Japão em conflitos armados no exterior.A aprovação da emenda era uma das reformas propostas pelo ex-primeiro-ministro Junichiro Koizumi, acusado por seus adversários de levar o Japão ao rearmamento e de esquecer as incursões em outros países da Ásia, que o Exército imperial japonês ocupou na primeira metade do século XX.O governo de Koizumi foi um dos mais sólidos apoios à invasão do Iraque por parte dos Estados Unidos. Um contingente de 600 soldados japoneses esteve no país árabe numa missão de reconstrução, criticada pela maior parte da população japonesa.A proposta de reformar a administração de assuntos militares existia desde a fundação da agência, em 1954. Mas até agora enfrentava a forte rejeição da opinião pública, devido ao passado militarista que conduziu à derrota do Japão na Segunda Guerra Mundial.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.