Tóquio proporá a Pequim reunião ministerial no final do mês

O Japão proporá à China a realização de uma reunião ministerial durante o fórum Diálogo para a Cooperação na Ásia, que será realizada no Catar no fim de maio, informou hoje o Ministério de Relações Exteriores japonês. "Achamos que é necessário manter um diálogo entre Japão e China", disse o vice-ministro de Exteriores japonês, Shotaro Yachi, à agência japonesa "Kyodo", antes de se reunir hoje em Pequim com seu colega chinês, Dai Bingguo.Yachi explicou que o ministro de Relações Exteriores japonês, Taro Aso, quer se reunir no Catar com o chefe da diplomacia chinesa, Li Zhaoxing, se este participar do Diálogo para a Cooperação na Ásia, que será realizado em Doha nos dias 23 e 24.As relações entre China e Japão passam por um de seus piores momentos, com os contatos de alto nível interrompidos pelas disputas em torno de várias jazidas de gás no Mar da China Oriental e as tensões desatadas pelas visitas do primeiro-ministro japonês, Junichiro Koizumi, ao polêmico templo de Yasukuni.A China e outros países da Ásia, como a Coréia do Sul, que foram alvo do expansionismo militar japonês na primeira metade do século passado, consideram Yasukuni o símbolo do passado colonialismo militarista japonês, e pediram em várias ocasiões às autoridades de Tóquio que deixem de visitá-lo.Koizumi continuou a fazer visitas periódicas a esse templo xintoísta de Tóquio, apesar de vários tribunais japoneses terem qualificado tal comportamento como contrário à Constituição, que faz uma separação muito rígida entre religião e Estado. Koizumi considera que suas idas ao templo têm um caráter particular.Em Yasukuni, além de se homenagear cerca de 2,5 milhões de japoneses mortos em combate, se venera 14 criminosos de guerra, muitos deles executados pelas tropas aliadas no fim da Segunda Guerra Mundial.A última visita de Koizumi a Yasukuni, em outubro de 2005, levou a China e a Coréia do Sul a cancelar reuniões ministeriais com o Japão previstas para o final do ano passado.Outro dos assuntos que está causando problemas nas relações entre Japão e China é a disputa que os dois países mantêm pelas jazidas de gás existentes em uma faixa de mar que Tóquio e Pequim reivindicam como parte de sua soberania.Além disso, um consórcio chinês começou a explorar um campo de gás em uma área muito próxima às águas que o Japão considera como pertencentes à sua Zona Econômica Exclusiva e Tóquio teme que tal projeto possa servir para tomar as reservas desse combustível presentes no lado japonês.As conversas iniciadas hoje em Pequim fazem parte do diálogo diplomático aberto em maio do ano passado. A rodada anterior destas negociações foi realizada em fevereiro no Japão.Segundo fontes da Embaixada japonesa em Pequim, na segunda-feira Yachi e Dai se reunião em Guiyang, na província de Guizhou, cidade natal do vice-ministro chinês.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.