Tóquio prorroga por seis meses sanções contra Pyongyang

Medidas proíbem importação de produtos e entrada em águas japonesas dos navios norte-coreanos

Efe,

11 de abril de 2008 | 02h59

O Governo japonês prorrogou nesta sexta-feira, 11, por seis meses as sanções econômicas à Coréia do Norte, em função da falta de progressos na matéria nuclear e na questão dos seqüestros de japoneses por parte de Pyongyang nos anos 70 e 80. O Executivo do primeiro-ministro japonês, Yasuo Fukuda, aprovou nesta sexta a extensão das sanções impostas unilateralmente pelo Japão em 2006, informou a agência local Kyodo. As medidas proíbem a importação de produtos norte-coreanos e a entrada em águas territoriais japonesas dos navios com bandeira da Coréia do Norte. As autoridades de Tóquio vetaram ainda a entrada no país dos cidadãos da Coréia do Norte, a exceção dos partidários do regime comunista de Pyongyang que vivem no Japão. O Japão impôs sanções pela primeira vez à Coréia do Norte depois do teste nuclear que Pyongyang realizou em outubro de 2006. Em abril de 2007, e em outubro do mesmo ano, o Governo decidiu prorrogar as sanções estabelecidas por seis meses. Além dessas sanções, o Japão proibiu a exportação de 24 artigos do país à Coréia do Norte, entre eles vários alimentos considerados de luxo por uma resolução das Nações Unidas. Segundo a agência Kyodo, a decisão também foi impulsionada pela falta de avanços nas negociações diplomáticas quanto aos seqüestros da Coréia do Norte de japoneses durante os anos 70 e 80, um assunto que dificulta as relações entre os dois países.

Tudo o que sabemos sobre:
Coréia do NorteJapãosanções

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.