Tóquio vai ajudar Pyongyang se caso dos seqüestros avançar

O primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, disse que o Japão não enviará ajuda à Coréia do Norte se não houver avanços nas conversas sobre os seqüestros de japoneses por parte doregime norte-coreano nas décadas de 70 e 80, segundo informou nesta terça-feira, 13, a agência Kyodo."O Japão não pode dar ajuda devido ao assunto dos seqüestros" sobre o qual "não há progressos concretos", disse Abe ao comentar a reunião de segunda-feira, 12, entre os delegados japonês e norte-coreano.A reunião fez parte das conversas de seis lados, em Pequim, sobre o programa nuclear da Coréia do Norte.Segundo a agência, o ministro de Relações Exteriores japonês, Taro Aso, transmitiu por telefone a mesma mensagem à secretária de Estado americana, Condoleezza Rice.Aso condicionou a ajuda japonesa ao regime de Kim Jong-il aos avanços no tema dos seqüestros. Mas ele achou possível um acordo para iniciar a desnuclearização da Coréia do Norte.Ainda segundo a agência, Aso e Rice concordaram que é necessário pressionar o regime norte-coreano a tomar medidas iniciais para acabar com seu programa nuclear.O governo japonês já repetiu em várias ocasiões que não concederá ajuda à Coréia do Norte, a menos que haja progressos no tema dos seqüestros. Mas para os norte-coreanos o caso está fechado, informou a Kyodo.Estados Unidos e Coréia do Norte chegaram na segunda-feira, 12, a um acordo preliminar para o desarmamento nuclear de Pyongyang. A negociação, que envolveu, além dos dois países, China, Rússia, Japão e Coréia do Sul, determina que Pyongyang desative suas instalações nucleares em troca de garantias econômicas e de segurança.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.