Alain Jocard/AFP
Alain Jocard/AFP

Torre Eiffel reabre após recorde de nove meses fechada

Capacidade de visitantes, no entanto, será limitada a 13 mil pessoas, metade do nível normal

Redação, O Estado de S.Paulo

16 de julho de 2021 | 07h00

PARIS -  A Torre Eiffel, em Paris, está pronta para receber visitantes novamente a partir desta sexta-feira, 16, pela primeira vez em nove meses, após seu fechamento mais longo desde a Segunda Guerra.

Os elevadores da "Dama de Ferro" levarão mais uma vez os turistas a 300 metros até o cume, marcando o fim de sua longa inatividade devido à pandemia de covid-19. No entanto, a capacidade diária de visitantes será limitada a 13 mil pessoas, metade do nível normal, para respeitar a distância social. A partir da próxima quarta-feira, 21, os visitantes devem apresentar comprovante de vacinação ou teste negativo para covid-19, de acordo com as exigências do governo.

“Obviamente é uma complicação operacional adicional, mas é administrável”, disse Jean-François Martins, chefe da empresa operacional, à Agência France-Presse. Depois de uma última rodada de verificações de segurança, Martins anunciou que "a senhora está pronta".

As reservas antecipadas de passagens para o período de férias de verão mostraram mudanças na indústria do turismo em Paris devido a restrições de viagens. Martins disse que houve uma "ausência quase total" de britânicos com reservas de ingressos, enquanto 15% dos que buscam visitar a atração são dos Estados Unidos e alguns da Ásia. Espera-se que metade dos visitantes sejam franceses, enquanto italianos e espanhóis têm uma proporção maior do que o normal.

A paralisação prolongada afetou as finanças da operadora, Sete, que administra o monumento sob contrato com as autoridades parisienses. A entidade vai buscar ajuda governamental adicional e uma injeção de 60 milhões de euros para se manter, depois que suas receitas caíram 75%, para 25 milhões de euros. /AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.