Torturador argentino será julgado na Espanha

O ex-oficial argentino Ricardo Miguel Cavallo será extraditado do México para a Espanha onde será julgado por crimes de genocídio, tortura e terrorismo cometidos durante a ditadura militar. A extradição foi pedida pelo juiz espanhol Baltazar Garzón, o mesmo que processou o ex-ditador chileno Augusto Pinochet.Em Buenos Aires, a presidente da organização de direitos humanos Avós da Praça de Maio, Estela de Carlotto, elogiou a decisão tomada na noite de sexta-feira pela chancelaria mexicana. "É uma mostra de que a Justiça tarda mas não falta", disse Carlotto, acrescentando esperar que "dentro de pouco tempo ele esteja encarcerado". Segundo a acusação, Cavallo atuava na Escola de Mecânica da Marinha (ESMA), que funcionou durante a ditadura militar (1976-1983) como um centro clandestino de detenção de prisioneiros políticos. Ele tem negado qualquer responsabilidade pelos seqüestros, assassinatos e torturas ali cometidos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.