Total de abortos na Espanha caiu em 2009, diz ministro

O ministro da Saúde da Espanha, Leire Pajin, informou que o número de abortos realizados no país caiu em 2009 pela primeira vez em uma década. Ele disse que a queda para 111.482 intervenções no ano passado - ante 115.812 em 2008 - ocorreu desde que uma nova lei que permite a venda da pílula do dia seguinte nas farmácias sem a necessidade de receita médica passou a valer no ano passado.

AE, Agência Estado

13 de dezembro de 2010 | 15h23

Hoje, Pajin disse que "parece que estamos no caminho certo e é importante tomar medidas preventivas, educacionais e úteis para disponibilizar os contraceptivos". No início de 2009, a Espanha atualizou um lei de 1985 que permite que abortos sejam feitos, sem indicação médica, até 14 semanas de gestação. Isso permite que adolescentes de 16 e 17 anos abortem sem a permissão de seus pais.

Tudo o que sabemos sobre:
EspanhaabortonúmerosSaúde

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.