Total de casos de gripe suína sobe para 20 nos EUA

O Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA (CDC, na sigla em inglês) informou que foram registrados 20 casos de gripe suína em cinco estados, o mais recente em Ohio. Os outros estados com casos confirmado são: Califórnia, Texas, Kansas e Nova York. O órgão disse que espera ver mais casos severos de gripe suína no país.

AE, Agencia Estado

26 de abril de 2009 | 14h25

NO início da tarde, pelo horário de Brasília, o secretário de Segurança Doméstica dos EUA, Janet Napolitano, declarou estado de emergência de saúde pública no país em virtude do surto da doença. Napolitano disse que a medida é um "procedimento operacional padrão".

Na Cidade do México, mais 5 pessoas morreram de gripe durante a noite, sendo que duas foram confirmadas como sendo vítimas da gripe suína. Já as outros três ainda estão sob suspeita. Mais 73 pessoas adoeceram no México.

Também neste domingo, a Organização Mundial de Saúde (OMS) informou que os casos de gripe suína observados em pacientes nos EUA e no México, onde o surto foi registrado primeiro, são basicamente o mesmo. O diretor geral assistente temporário para Segurança de Saúde e o Meio Ambiente da OMS, Keiji Fukuda, fez o comentário durante uma conference call com a imprensa, que a agência pretende realizar diariamente.

Alerta

Fukuda disse que é preciso mais tempo e informação sobre o surto da gripe suína antes da OMS mover seu nível de alerta de pandemia para um nível mais alto. O alerta está atualmente na fase 3, que em resumo significa infecções predominantemente animais com nenhuma ou transmissão limitada entre humanos. A fase 4 representaria uma transmissão sustentada entre homens.

Ele também disse que não existem evidências de que o surto de gripe suína no México represente um ato de bioterrorismo. "Não existem sinais de que estejamos lidando com ações intencionais", disse Fukuda em resposta a uma pergunta sobre a recente visita do presidente dos EUA, Barack Obama, ao México, onde pelo menos 81 pessoas morreram de uma severa pneumonia causada por uma doença semelhante a gripe.

Fukuda acrescentou ainda que não há confirmações de que a gripe suína esteja se espalhando através da exposição à carne de porco ou aos animais. "Neste momento não existem evidências que indiquem que as pessoas estão sendo infectadas através da exposição à carne de porco ou aos porcos", disse Fukuda.

Tudo o que sabemos sobre:
MéxicoEUAgripe suína

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.