Shakil Adil/AP
Shakil Adil/AP

Total de mortes em atentado no Paquistão supera 40

Ataque a bomba contra procissão xiita levou a onda de violência na principal cidade do país

Associated Press,

29 de dezembro de 2009 | 09h30

Autoridades paquistanesas pediram calma nesta terça-feira, 29, depois que um atentado a uma procissão xiita matou 43 pessoas na cidade de Karachi, a maior do país, desencadeando distúrbios e o temor de violência religiosa.

 

Homem-bomba ataca festival xiita no Paquistão e mata pelo menos 30

 

A segurança foi reforçada enquanto milhares de pessoas reuniam-se no centro de Karachi para o funeral de alguns dos mortos no atentado que atingiu os participantes da procissão do dia santo muçulmano de Ashoura.

 

O ataque levou a distúrbios quando multidões entraram, em fúria pela cidade, ateando fogo a casa e lojas. Bombeiros ainda combatiam as chamas nesta terça-feira, com autoridades convocando reforços da cidade de Hyderabad, 170 km ao norte de Karachi.

 

O prefeito de Karachi, Mustafa Kamal, disse que o maior mercado atacadista da cidade está em chamas e que centenas de lojas foram destruídas, com danos estimados em milhões de dólares.

 

Ainda não se sabe quem esteve por trás do atentado à procissão. Autoridades paquistanesas dizem que grupos sectários uniram-se a extremistas da Al-Qaeda e do Taleban numa guerra contra o governo, num esforço para desestabilizar o Paquistão.

 

 Mais de 500 pessoas já foram mortas em atentados desde outubro, quando o Exército lançou uma ofensiva contra o Taleban no noroeste do país.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.