Toyota suspende exportações ao Irã por pressões internacionais

Conselho de Segurança da ONU impôs sanções ao país devido a suas supostas ambições atômicas

Efe

11 de agosto de 2010 | 02h09

TÓQUIO - A Toyota, maior fabricante mundial de automóveis, suspendeu as exportações de veículos ao Irã por tempo indeterminado devido à atual "situação internacional", informou nesta quarta-feira, 11, um porta-voz da companhia japonesa.

A Toyota exportou cerca de quatro mil veículos em 2008 ao Irã, 250 a mais que no ano passado, enquanto até o fim de maio deste ano tinha exportado outras 220 unidades, mas depois os envios foram suspensos.

Apesar de a companhia japonesa tenha evitado dar mais detalhes, a agência local Kyodo atribui a decisão à crescente pressão internacional sobre o Irã por conta de seu desenvolvimento nuclear, especialmente no terreno comercial.

No último dia 9 de junho, o Conselho de Segurança da ONU aprovou a resolução 1929, que impõe uma quarta rodada de sanções ao Irã, como parte de um esforço internacional para pressionar o país a abandonar suas supostas ambições atômicas.

O governo iraniano defende, no entanto, que tem direito a usar tecnologia nuclear e que o faz com fins pacíficos.

O Japão informou no início deste mês que vai impor novas sanções contra o Irã por seu programa nuclear de enriquecimento de urânio, após a recente aprovação da resolução da ONU.

A União Europeia e os Estados Unidos também aprovaram suas próprias sanções unilaterais contra o Irã.

No caso americano, as empresas que não adotarem medidas contra o Irã podem ter problemas no mercado local.

Os EUA são o maior mercado da Toyota. As vendas para o país estão em alta, e entre abril e junho aumentaram em 40% em taxa anualizada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.