TPII absolve ex-primeiro-ministro de Kosovo

O tribunal da Organização das Nações Unidas (ONU) para crimes de guerra cometidos na antiga Iugoslávia absolveu nesta quinta-feira o ex-primeiro-ministro kosovar Ramush Haradinaj e dois ex-combatentes do Exército de Libertação de Kosovo (ELK) de acusações de assassinato e tortura durante a guerra que resultou na independência do território, no fim dos anos 1990.

AE, Agência Estado

29 de novembro de 2012 | 17h17

Haradinaj, de 44 anos, e Idriz Balaj, de 41, foram julgados por seis acusações de assassinato e tortura de sérvios e não-albaneses. Já o terceiro acusado, Lahi Brahimaj, de 42 anos, enfrentou quatro acusações pelo seu papel na luta entre as guerrilhas da Albânia que lutavam por independência e as forças de Belgrado, lideradas pelo ex-presidente iugoslavo Slobodan Milosevic.

As absolvições resultam da primeira vez que o Tribunal Penal Internacional para a ex-Iugoslávia (TPII), estabelecido em Haia, aceitou recurso a sentenças emitidas anteriormente. Em 2008, o trio já havia sido absolvido pelo TPII, mas o julgamento foi considerado um "aborto da justiça" em meio a denúncias de intimidação a testemunhas de acusação.

Haradinaj regressou ao Kosovo hoje mesmo. Ele foi recebido em Pristina pelo atual primeiro-ministro kosovar, Hashim Thaci, e prometeu voltar à política agora que foi absolvido novamente pelo TPII. "Vou trabalhar com todos vocês para levar esse país para a frente", declarou Haradinaj ao desembarcar. As informações são da Dow Jones e da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.