Trabalhadores das docas gregas decidem estender greve

Os funcionários das docas da Grécia informaram no domingo que continuarão a greve até o meio desta semana, em meio ao mais recente protesto contra medidas de austeridade implementadas pela coalizão governista em troca de mais ajuda da União Europeia (UE) e do Fundo Monetário Internacional (FMI) para evitar a moratória.

AE, Agência Estado

04 de fevereiro de 2013 | 11h25

Marinheiros e trabalhadores das docas do país decidiram no domingo estender a greve, inicialmente de 48 horas, até quarta-feira, após terem paralisado suas atividades na quinta-feira. A ação deixou muitas ilhas gregas sem acesso a comida e medicamentos.

O governo grego, liderado pelos conservadores do partido Nova Democracia, enfrenta a oposição dos trabalhadores em relação a reformas em pensões e no mercado de trabalho que o país deve implementar em troca do resgate de 173 bilhões de euros (US$ 235,96 bilhões).

Na semana passada, o sindicato GSEE, o maior do país, anunciou uma greve de 24 horas no dia 20 de fevereiro para protestar contra as medidas de austeridade. No fim de semana, fazendeiros interromperam brevemente o tráfego em algumas das principais rodovias do país em protesto contra aumentos de impostos que atingiram o setor. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Gréciagreveausteridade

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.