Trabalhadores portuários atacam o Parlamento Europeu

Manifestantes jogaram pedras e pedaços de madeira contra a sede do Parlamento Europeu, em meio a protestos contra os planos de reforma dos serviços portuários da União Européia. Greves e manifestações atrapalharam o manejo de cargas em vários portos. A polícia utilizou gás lacrimogêneo e canhões de água para dispersar a manifestação em Estrasburgo, mas janelas do Parlamento fora quebradas. Os deputados devem discutir nesta semana planos para liberalizar a atividade portuária na União Européia. Os estivadores temem que o projeto traga uma redução de salários e perda nos padrões de segurança. Uma das cláusulas da reforma permite que marinheiros façam o manejo da carga, o que tiraria trabalho da estiva.Pelo menos 6.000 estivadores, dos principais portos europeus - como Roterdã, Hamburgo e Marselha - e de locais distantes como EUA e Austrália participaram da manifestação, organizada por sindicatos.Greves interromperam trabalhos em portos na Bélgica, Portugal e Dinamarca. Estivadores na Suécia e na Holanda fizeram paralisações parciais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.