Trabalhadores protestam contra aquisição de siderúrgica na China

A China foi obrigada a suspender a privatização de uma siderúrgica estatal após a realização de uma manifestação por milhares de trabalhadores que reclamam não ter recebido um pagamento justo, informou a mídia estatal no domingo.

REUTERS

16 de agosto de 2009 | 14h54

Esta é a segunda vez em menos de um mês que uma manifestação de trabalhadores suspende a privatização de uma siderúrgica chinesa, enquanto Pequim tenta rever a crescente e ineficiente indústria do setor.

No último mês, uma multidão agrediu e matou um executivo que estava organizando a aquisição da estatal Tonghua Steel, na província de Jilin.

O último protesto foi na província de Henan, onde trabalhadores da estatal Linzhou Steel Corporation se opuseram à oferta da Fengbao Iron & Steel Co. Ltd., uma companhia privada, divulgou a agência de notícias Xinhua.

As manifestações começaram na terça-feira e acabaram apenas no sábado após uma equipe de mediadores do governo garantirem o cancelamento temporário do acordo, acrescentou a Xinhua.

Demonstrando preocupação, autoridades da central sindical chinesa All China Federation of Trade Unions (ACFTU) publicaram uma nota na Internet dizendo que os planos de reestruturação coorporativa seriam considerados inválidos se não tivessem a aprovação dos trabalhadores.

Os funcionários da Linzhou Steel exigiram uma compensação maior para aqueles que perderam o emprego, assim como os salários que não foram pagos durante o processo de reestruturação da empresa, que começou em agosto 2008, disse a agência de notícias.

A China, maior produtor e consumidor de aço do mundo, está tentando consolidar o setor, mas muitos governos locais têm resistido às fusões em meio a temores de um possível mal-estar provocado por trabalhadores desempregados.

(Reportagem de Simon Rabinovitch)

Tudo o que sabemos sobre:
CHINATRABALHADORESPROTESTO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.