REUTERS/Phil Noble
REUTERS/Phil Noble

Trabalhistas britânicos aprovam moção de desconfiança contra líder do partido

Medida foi votada após o Reino Unido decidir em referendo deixar a União Europeia e recebeu o apoio de muitos que consideram que Corbyn não se esforçou o bastante na campanha pela manutenção do Reino Unido no bloco

O Estado de S. Paulo

28 Junho 2016 | 20h03

LONDRES - Parlamentares do Partido Trabalhista britânico, de oposição, apoiaram uma moção de desconfiança contra o líder da legenda, Jeremy Corbyn, por ampla margem nesta terça-feira, 28. Corbyn disse que não renunciará ao cargo.

Os parlamentares trabalhistas aprovaram a moção por 172 votos a 40, segundo fontes.

A moção foi votada após o Reino Unido decidir em referendo deixar a União Europeia (UE), e recebeu o apoio de muitos que consideram que Corbyn não se esforçou o bastante na campanha pela manutenção do Reino Unido no bloco e não seria capaz de vencer uma eleição futura.

O resultado, que era amplamente esperado após dias de pesadas críticas de dentro do próprio partido, não tem uma consequência formal e não provoca uma nova disputa pela liderança da legenda. Em comunicado divulgado pouco após a votação, Corbyn disse que não renunciará ao posto.

"Fui democraticamente eleito líder de nosso partido para um novo tipo de política por 60% dos membros e simpatizantes trabalhistas, e não vou traí-los renunciando", disse. "A votação de hoje dos membros do Parlamento não tem legitimidade constitucional."

Corbyn já havia dito anteriormente que, caso uma nova disputa pela liderança seja convocada, ele se candidatará novamente. Uma nova eleição para líder do partido teria de acontecer se 51 ou mais parlamentares trabalhistas prometerem apoio a um candidato alternativo. / REUTERS 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.