Trabalhistas colocam Cameron contra magnata

Premiê recebeu pressão para barrar a oferta feita por Rupert Murdoch para comprar a BSkyB

, O Estado de S.Paulo

11 de julho de 2011 | 00h00

LONDRES - O primeiro-ministro britânico, David Cameron, recebeu pressão ontem para barrar a oferta feita por Rupert Murdoch para comprar a emissora de TV paga BSkyB, ao menos até o fim da investigação sobre escutas telefônicas em um jornal do magnata.

 

Veja também:

link Tabloide fecha e Murdoch enfrenta em Londres pressão contra seus negócios

link Crise deixa alguns políticos tensos e outros aliviados

 

O líder da oposição Ed Miliband disse que levaria o tema para uma votação parlamentar na próxima semana, caso Cameron não agisse. "Precisa ficar claro que a BSkyB não pode seguir adiante até que a investigação seja concluída", declarou Miliband ao canal BBC. "Espero que ele mude de posição sobre isso", completou. A pressão também veio do menor partido da coalizão governamental, formado pelos liberais-democratas, que costumam ter uma relação menos próxima de Murdoch.

O segundo líder do partido, Simon Hughes, declarou estar preparado para apoiar o pedido dos trabalhistas de que o acordo seja adiado e convocou outros liberais-democratas a seguir o mesmo caminho. A atitude cria um cenário que também servirá para testar a unidade da coalizão governamental.

O grupo News Corp. - o maior conglomerado de comunicação do mundo, pertencente a Murdoch - fez uma oferta de US$ 14 milhões (cerca de R$ 21,8 milhões) por 61% da rentável BSkyB, que ainda não estão em seu poder. / REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.