Trabalhistas e centro esquerda anunciam aliança eleitoral em Israel

Parlamento foi dissolvido na segunda-feira pelo primeiro-ministro, que convocou as eleições antecipadas para 17 de março

O Estado de S. Paulo

10 de dezembro de 2014 | 20h53

JERUSALÉM - O líder do Partido Trabalhista de Israel, Yitzhak Herzog, anunciou nesta quarta-feira uma aliança eleitoral com o HaTnuah, de centro esquerda, liderado pela ex-ministra da Justiça Tzipi Livni, visando as eleições legislativas de março.

Se vencermos, "serei o primeiro-ministro durante os dois primeiros anos e Tzipi Livni" completará o mandato de quatro anos, disse Herzog em entrevista.

O Parlamento foi dissolvido na segunda-feira pelo premiê, Binyamin Netanyahu, que convocou as eleições antecipadas para 17 de março.

"Hoje, o centro se levantou contra os partidos de extrema direita", declarou Livni, que como ministra da Justiça se encarregou das negociações com os palestinos, mas foi destituída junto ao ministro das Finança, Yair Lapid, ambos acusados por Netanyahu de organizar um "golpe" contra o governo.

Segundo pesquisa publicada na terça-feira pelo site Maariv, uma lista reunindo trabalhistas e o HaTnuah poderia obter 23 cadeiras nas eleições de março, superando o Likud, de Netanyahu, com previsão de 21 cadeiras. A Knesset, o Parlamento de Israel, tem 120 cadeiras.

Outras pesquisa, publicada no fim de semana pelo jornal Globes, dá 24 cadeira à aliança de centro esquerda, contra 23 para o Likud.

Netanyahu confia na vitória e em uma aliança com os partidos ultraortodoxos, atualmente na oposição, além da manutenção do acordo com os dois partidos da direita dura, Israel Beiteinu e Lar Judeu, favoráveis ao prosseguimento da colonização nos territórios palestinos ocupados. / AFP

Mais conteúdo sobre:
IsraelKnesset

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.