Trabalhistas especulam sobre sucessão de Blair

Apesar de tudo apontar para o fato de que o sucessor de Tony Blair na Governo do Reino Unido será o ministro da Economia Gordon Brown, outros nomes surgem no Partido Trabalhista para ascender ao cargo. Para começar, o esquerdista John McDonnell, um dos deputados mais rebeldes do partido, anunciou que pensa em se apresentar como candidato nas primárias.McDonnell indicou que tentará se lançar como candidato trabalhista para assegurar "que o debate não se reduza a uma luta interna entre a elite londrina do novo trabalhismo". Nesta batalha interna pelo poder, outra peça importante é o ministro do Interior, John Reid, um dos mais fiéis aliados do atual chefe de governo. Reid tem a seu favor a experiência em cargos ministeriais e contacom a vantagem de ter passado por mais pastas do que os demaisAspirantes.Reid foi ministro da Escócia (1999-2001), da Irlanda do Norte(2001-02), ministro sem pasta e presidente do Partido Trabalhista(2002-2003), líder da Câmara dos Comuns (2003), ministro da Saúde(2003-05), da Defesa (2005-06) e desde maio é titular da pasta deInterior.A fama de defensor das reformas dos serviços públicos dão a Reida reputação de ser um duro e astuto negociador, embora suas maneirasum tanto quanto rudes possam depor contra ele.Muito mais jovem, mas igualmente notável entre os trabalhistas,David Miliband, ministro do Meio Ambiente, Alimentação e AssuntosRurais, é uma das maiores promessas do partido. Embora nunca tenha sido cogitado como candidato, o jovem Miliband conta com um perfil ideal para fazer frente ao líder conservador David Cameron.Íntimo do chefe de governo e visto no passado como o "protegido"do primeiro-ministro, Miliband parecia estar fora da corrida pelasucessão da Chefia de Governo, depois de ter afirmado, naquarta-feira, que Gordon Brown seria "um bom líder" para o partido. No entanto, Miliband é um líder em potencial e sua ambição,juventude e inteligência o transformam na opção mais inovadora doPartido.Embora todos estes nomes contem com sólidas qualidades paradesafiar Brown, nenhum deles, com exceção de McDonnell, anunciouexplicitamente seu desejo de ocupar o cargo de primeiro-ministro.Enquanto isso, os jornais britânicos discutem as chances deoutros possíveis adversários de Brown. Alguns apontam o ministro daEducação, Alan Johnson, que já desponta como favorito para o cargode vice-primeiro-ministro britânico, atualmente ocupado por JohnPrescott.Este homem de gestos suaves que um dia foi carteiro é, semdúvida, uma figura em ascensão dentro do Partido Trabalhista e seriauma opção muito popular entre os britânicos, apesar de sua brevevida pública.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.