Owen Humphreys/AP
Owen Humphreys/AP

Trabalhistas tinham planos para derrubar Tony Blair, afirmam documentos

Informações do 'Daily Telegraph' evidenciam ruptura no partido; secretário de finanças nega

Efe e Reuters

10 de junho de 2011 | 19h04

LONDRES - Informações divulgadas pelo jornal britânico Daily Telegraph nesta sexta-feira, 10, afirmam que membros do Partido Trabalhista da Grã-Bretanha formaram um complô para derrubar o então primeiro-ministro do país em 2005, Tony Blair.

 

De acordo com o jornal, o atual secretário de finanças do partido, Ed Balls, e o atual líder da legenda, Ed Miliband, começaram a planejar a "divisão" do grupo em julho e tinham o objetivo de derrubar Blair até 2006. As informações estão em notas e arquivos secretos que revelam "profundas rupturas" entre as maiores figuras do trabalhismo.

 

O material também revela que o ex-primeiro-ministro Gordon Brown também tinha diferenças com Blair, seu antecessor, a quem chamava de "superficial e obscuro". Brown também teria ordenado Balls na época a "limpar a influência de Blair no partido".

 

Balls, porém, negou que havia um complô para derrubar Blair. "A ideia de que havia um plano para um golpe é falsa e não é justificada nesses documentos", disse ele à agência britânica BBC. Ele disse que os dois ex-premiês e seus aliados discutiram por anos a transferência de poder dentro do partido e afirmou que os documentos não refletem os bastidores dos trabalhistas e são uma tentativa de afastar as atenções do que está acontecendo no país.

 

Miliband, também citado nos arquivos e aliado próximo de Brown, disse que os papéis são uma "versão aumentada da história antiga". "A era de Blair e Brown acabou. Somos um partido olhando para o futuro e para o país, e não para nós mesmos", declarou o líder trabalhista.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.