Trabalho escravo na 2ª Guerra será indenizado no Brasil

Duzentas e cinquenta e sete pessoas que vivem no Brasil deverão receber, ainda neste ano, compensações financeiras por terem trabalhado como escravos durante a Segunda Guerra Mundial na Alemanha.De acordo com o programa da Organização Internacional de Migrações (OIM), ligada à ONU, as vítimas podem receber entre US$ 1 mil e US$ 7 mil cada, dependendo do trabalho que foram forçados a desempenhar. Os nomes das vítimas que ainda vivem no Brasil, porém, não podem ser divulgados.A OIM apenas administra os mais de US$ 350 bilhões da fundação alemã Memória, Responsabilidade e Futuro, que recebe os recursos do governo e de empresas alemãs.A fundação também compensa pessoas que tenham tido suas propriedade tomadas por empresas alemãs durante o Holocausto.As compensações, ao contrário de outros programas, não são direcionadas apenas aos judeus. O objetivo do programa é atender aos demais grupos que tenham sido vítimas durante a Segunda Guerra Mundial, entre eles cidadãos de países ocupados por Hitler e que tenham sido trazidos para trabalhar na Alemanha, homossexuais, ou mesmo opositores do regime nazista.Nesta sexta, a OIM aprovou a primeira parcela de compensações para 99 pessoas, mas nenhuma delas vive no Brasil. Desde janeiro deste ano, mais de 168 mil pedidos de compensações de todo o mundo foram feitos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.