Trabalho juvenil é desafio para a América Latina, diz OIT

Há forte potencial para melhorar oacesso da juventude ao trabalho na América Latina e no Caribe,onde as taxas de desemprego entre jovens são muito superioresàs dos adultos, segundo relatório divulgado na terça-feira pelaOrganização Internacional do Trabalho (OIT). O estudo "Trabalho Decente e Juventude" mostra que odesemprego entre os jovens da região atinge 17 por cento,enquanto que entre adultos cai para 6 por cento. A OIT disse haver cerca de 10 milhões de jovensdesempregados na região, 22 milhões que não estudam nemtrabalham e 31 milhões que trabalham na informalidade ou emcondições precárias. "Os jovens têm direito de que haja uma preocupaçãoparticular com sua situação, e me parece também que a AméricaLatina pode fazer mais pelos jovens. Pode e deve", disse ajornalistas Juan Somavia, diretor-geral da OIT, acrescentandoque a educação da nova geração latino-americana é melhor que nopassado. "O potencial de criatividade, inovação e produtividade éenorme se forem criadas as condições para que isso ocorra. Masse não ocorrer, vai surgindo esse ciclo vicioso de pobreza que,todos sabemos e vemos todos os dias, afeta a auto-estima e gerao desalento." A América Latina se beneficiou do sexto ano consecutivo decrescimento econômico, um avanço "não usual" na região, disseVirgilio Levaggi, diretor-regional-adjunto da OIT, que mesmoassim se disse preocupado com o desemprego juvenil. (Por Manuel Farías)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.