Toby Melville/Reuters
Toby Melville/Reuters

Tradicionais pubs e restaurantes ingleses poderão usar estacionamento para atender público

Nova legislação quer ajudar na recuperação de setores e facilitar criação de feiras ao ar livre

Redação, O Estado de S.Paulo

26 de junho de 2020 | 02h00

LONDRES - Os tradicionais pubs e restaurantes ingleses poderão servir cerveja e o tradicional "fish and chips" em seus estacionamentos transformados em terraços, determina uma legislação proposta pelo governo britânico nesta quinta-feira, 25.

O objetivo é ajudar o setor de hotelaria e de restauração a se recuperar mais rapidamente da pandemia do novo coronavírus.

Fechados desde o fim de maio por causa da covid-19, "pubs" e restaurantes poderão reabrir em 4 de julho na Inglaterra, desde que adotem medidas para evitar a transmissão da doença. Até o momento, o Reino Unido registra mais de 43 mil mortos, sendo o território mais afetado na Europa.

O governo do premiê Boris Johnson anunciou a apresentação de uma nova legislação para ajudar o setor a se reerguer.

Estas leis deverão simplificar e tornar mais barata a emissão de licenças para servir ao ar livre, como no caso, por exemplo, dos estacionamentos dos "pubs".

Com isso, bares e restaurantes autorizados poderão vender bebida alcoólica para consumo do lado de fora do estabelecimento, o que ajudará os clientes a respeitarem o distanciamento físico entre si.

Também facilitará a criação de feiras ao ar livre. O governo explicou que está trabalhando com as câmaras locais para desenvolver zonas de pedestres nas cidades.

"Nossos 'pubs', restaurantes e cafés são uma parte vital dos centros das cidades de todo país, e estamos fazendo todo o possível para garantir que possam se recuperar da forma mais rápida e segura", afirmou o ministro de Empresas, Alok Sharma, citado em um comunicado.

A expectativa das autoridades é que estas medidas permitam ao setor "aproveitar ao máximo os meses cruciais de verão que se aproximam". /AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.