Tradutor dos EUA e cineasta egípcio são presos no Cairo

Um tradutor norte-americano e um cineasta egípcio foram detidos no Cairo há três dias e são mantidos em um local não revelado, afirmou neste sábado o advogado deles, Ahmed Hassan.

Agência Estado

25 de janeiro de 2014 | 12h09

O tradutor Jeremy Hodge, de 26 anos, e o cineasta Hossam Eddin el-Meneai, de 36, foram presos na noite de quarta-feira no apartamento que dividem no bairro de Dokki, na capital egípcia, disse Hassan. Segundo o advogado, em um primeiro momento, a delegacia de polícia local reconheceu a prisão, mas depois negou que os dois estivessem sob sua custódia. Hassan diz que não foi revelado o motivo da detenção.

O Ministério do Interior do Egito não comentou o assunto.

Hassan acredita que os dois foram presos pela Agência Nacional de Segurança do Egito, o serviço local de espionagem. O advogado disse que apresentou um relatório para as autoridades dizendo que os dois foram "sequestrados". Para ele, as detenções fazem parte de uma "onda de intimidação a jornalistas" no país.

Hodge trabalha como tradutor freelance no Egito. Seu colega de quarto, el-Meneai, é um cineasta nascido na província do Sinai do Norte, onde há conflitos entre militantes e forças militares de segurança.

A embaixada dos Estados Unidos no Cairo confirmou que o tradutor norte-americano está detido e que está "dando toda a assistência consular apropriada", negando-se a comentar o assunto. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Egitodetenções

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.