Italian Police Department/Handout via REUTERS
Italian Police Department/Handout via REUTERS

Traficante de refugiados mais procurado do mundo é detido no Sudão

Eritreu Mered Medhanie é considerado responsável pela morte de centenas de refugiados no Mar Mediterrâneo

O Estado de S. Paulo

08 Junho 2016 | 15h09

LONDRES - O eritreu Medhanie Yehdego Mered, um dos traficantes de refugiados mais procurados do mundo, foi detido em Cartum, capital do Sudão, em uma operação na qual participaram a Agência Nacional Britânica contra o Crime (NCA, sigla em inglês) e o centro de escutas GCHQ, segundo informações divulgadas nesta quarta-feira em Londres.

Apelidado de "o general", Mered está vinculado a uma rede internacional de tráfico de pessoas e é considerado responsável pela morte de centenas de refugiados no Mar Mediterrâneo.

A NCA indicou que Mered, de 35 anos, foi detido na capital sudanesa em maio antes de ser extraditado na terça-feira para a Itália.

"Mered é totalmente indiferente à vida humana. Apesar de operar a milhares de milhas daqui, sua atividade criminosa tinha impacto na Grã-Bretanha. Não há dúvidas de que Mered pensava que estava fora do alcance da Justiça europeia, mas pudemos oferecer apoio aos italianos para localizá-lo no Sudão", disse o subdiretor da NCA, Tom Dowdall.

Segundo a Justiça italiana, Mered foi responsável pela morte de 359 migrantes que se afogaram quando o bote em que viajavam naufragou em águas próximas da Ilha de Lampedusa em 2013.

Em uma conversa interceptada pelo serviço secreto, é possível ouvir como o eritreu gargalhava ao saber da sobrecarga fatal das embarcações com imigrantes, segundo a NCA. Em outras gravações, é possível ouvi-lo organizar viagens no Mediterrâneo e coordenar grupos de contrabandistas.

A chamada operação "Glauco", uma investigação estabelecida pelas autoridades italianas em razão da tragédia de Lampedusa, recebeu a ajuda de agentes britânicos, que localizaram a residência onde estava "o general" em Cartum. /EFE


Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.