Gianluca Chininea/ AFP
Gianluca Chininea/ AFP

Tráfico de drogas, violência e política: como atua a Ndrangheta, a máfia da Calábria

Organização criminosa fatura 50 bilhões de euros com tráfico e tem ramificações em todos os continentes, segundo especialistas

Redação, O Estado de S.Paulo

14 de janeiro de 2021 | 11h00

Cinquefrondi, ITÁLIA - Considerada por especialistas como o grupo mafioso mais poderoso da Itália - ultrapassando em relevância a Cosa Nostra e a Camorra - a 'Ndrangheta sentou no banco dos réus nessa quarta-feira, 13, no maior julgamento envolvendo a máfia italiana em mais de 30 anos, com mais de 350 pessoas respondendo por suposto envolvimento com a organização criminosa. Estima-se que 900 testemunhas e 400 advogados serão ouvidos durante o processo.

O julgamento iniciado na quarta tem como alvo uma lista variada de delitos que remontam à década de 90, incluindo assassinatos, tráfico de drogas e lavagem de dinheiro.

Segundo a criminologista Anna Sergi, da Universidade Britânica de Essex, o nome do grupo tem origem nas palavras gregas "andranghateia", que significa "um grupo de homens honrados", e "andrangatho", que significa "realizar uma ação militar".

O grupo ganhou notoriedade nas décadas de 1980 e 1990, principalmente por seu envolvimento em séries de sequestros. No entanto, acredita-se que a organização já existisse antes, tendo participado do sequestro do neto do magnata americano Jean Paul Getty, na década de 1970, em Roma.

Apesar das autoridades italianas não apontarem o número exato de homens da 'Ndrangheta, estimativas apontam que 20 mil pessoas tenham envolvimento com o grupo, espalhado por todo o mundo.

"A 'Ndrangheta é a organização criminosa com mais ramificações no mundo, já que está presente nos cinco continentes", afirmou o magistrado italiano Roberto di Bella.

A máfia fatura anualmente 50 bilhões de euros - o que equivale a mais de 322 bilhões de reais -, a maior parte proveniente do tráfico de cocaína, de acordo com o promotor Nicola Gratteri, que trabalha em Catanzaro, uma das regiões mais pobres da Itália, e que serve de reduto ao grupo.

Métodos

Além do tráfico de drogas, porém, a 'Ndrangheta atua em mais uma série de frentes, de acordo com di Bella. O magistrado explica que a máfia também executa "atividades típicas de organizações criminosas", como acertos de contas, extorsão e lavagem de dinheiro.

No entanto, os calabreses se diferenciam de outros grupos mafiosos por suas estrutura familiar, que faz com que a relação entre seus integrantes seja extremamente confiável, com pouco espaço para arrependimento ou traições.

"O enorme fluxo de dinheiro proveniente das drogas permite que a 'Ndrangheta compre tudo: lojas, restaurantes, fábricas, edifícios. Envenenam a economia legal da Itália e de muitos países do mundo", explica di Bella.

Ainda de acordo com o magistrado, o grupo também tem atuação ativa na indústria da construção civil, tendo acesso a fundos europeus, chegando a se beneficiar de contratos para realizar o sepultamento de pessoas que morreram durante a pandemia da covid-19.

Violência revelada

Em 2007, um episódio sangrento na Alemanha acabou revelando o poder e a violência com que a 'Ndrangheta age na Europa, além do território italiano.

Em agosto daquele ano foram encontrados os corpos de seis pessoas, todos eles crivados de balas, em frente a uma pizzaria na cidade alemã de Duisburg. As vítimas, que tinham entre 16 e 39 anos, foram identificadas como membros de uma família da máfia calabresa em San Luca.

O massacre foi classificado como uma vingança promovida por um clã rival, também da máfia calabresa, e acabou mostrando que a organização criminosa havia se infiltrado nos círculos econômicos e legais de outro país europeu./ AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.