Tragédia no céu americano

Quase 3 mil pessoas morreram no pior ataque suicida de todos os tempos

, O Estado de S.Paulo

04 Setembro 2011 | 00h00

No dia 11 de setembro de 2001, o mais espetacular atentado suicida de todos os tempos matou 2.976 pessoas. O ataque coordenado foi lançado contra duas cidades emblemáticas: Nova York, capital financeira dos EUA, e Washington, centro do poder político e militar do país. O mecenas da barbárie foi Osama bin Laden, que financiou, aprovou os alvos e ajudou a recrutar os terroristas. O arquiteto foi Khalid Sheik Mohamed - hoje preso em Guantánamo -, que teve a ideia e organizou a ação. Em solo, o coordenador foi o egípcio Mohamed Atta, que pilotou o primeiro Boeing contra a torre norte do World Trade Center.

Em meados de 1996, o plano foi apresentado por Mohamed a Bin Laden, que rejeitou alguns alvos e deu sinal verde apenas em 1999. A ideia original incluía prédios em Chicago e Los Angeles, mas a Al-Qaeda, segundo informações de inteligência do governo americano, não teria conseguido recrutar terroristas em número suficiente.

Enfim, o pacote de alvos foi fechado. O WTC representava a economia dos EUA - as duas maiores torres do complexo desabaram. O Pentágono era o poder militar - uma face do edifício foi destruída. A sede do Congresso era vista como símbolo do apoio americano a Israel - o avião que deveria devastar o Capitólio caiu antes da hora. A Casa Branca foi retirada da lista, porque Mohamed achou que seria muito difícil atingi-la com um avião.

Em vários pronunciamentos, membros da Al-Qaeda citaram três motivos para os ataques: a presença de tropas dos EUA na Arábia Saudita, o apoio americano a Israel e as sanções internacionais contra o Iraque.

No WTC, as explosões foram tão violentas que a limpeza dos destroços durou nove meses - a maior parte do entulho foi levada para Staten Island, onde fragmentos de ossos foram recolhidos até o ano passado. Ao todo, 1.630 vítimas foram identificadas e cerca de 10 mil restos humanos foram armazenados à espera de um avanço da tecnologia do DNA.

Os ataques também deixaram um vazio de 65 mil metros quadrados em Manhattan. O local, batizado de Marco Zero, ganhará um memorial e um museu. Dez anos depois, o projeto do novo WTC tem apenas um edifício concluído: o WTC 7. Dois prédios estão em fase avançada e dois ainda na fundação. As obras terminam em 2015 e custarão US$ 11 bilhões.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.