Tragédias são freqüentes na peregrinação a Meca

A peregrinação anual muçulmana a Meca e Medina, conhecida como haj, foi marcada pelo desastre nos últimos anos. Milhares de pessoas, na maioriaperegrinos envolvidos num dos maiores rituais religiosos do mundo, morreram em tragédias ligadas aos santuários mais sagrados do Islã. Algumas foram resultado de disputas políticas ou religiosas. Os piores desastres foram:31/7/1987 - 402 pessoas, na maioria peregrinos iranianos,morreram e 649 ficaram feridas em Meca quando as forças desegurança entraram em choque com iranianos que realizavam umamanifestação ilegal contra os EUA.9/7/1989 - Duas bombas explodiram em Meca, matando um peregrinoe ferindo 16. As autoridades sauditas responsabilizaramterroristas pró-iranianos e mais tarde decapitaram 16 muçulmanosxiitas kuwaitianos pelos ataques. O Irã negou envolvimento.2/7/1990 - 1.426 peregrinos, muitos da Malásia, Indonésia ePaquistão, morreram num tumulto em Meca, num túnel parapedestres superlotado que levava a locais sagrados. Foi a piortragédia dos tempos modernos numa peregrinação.23/5/1994 - 270 peregrinos, na maioria indonésios, morreram numtumulto em Meca quando os religiosos correram para uma cavernapara o ritual simbólico do apedrejamento do diabo.15/4/1997 - Incêndios alastrados por fortes ventos se espalharampor um amplo e superlotado acampamento em Mina, prendendo ematando mais de 340 peregrinos e ferindo 1.500. Membros deequipes de socorro e diplomatas disseram que o saldo foi de pelomenos 500 mortos.9/4/1998 - Cerca de 180 peregrinos morreram pisoteados quando opânico irrompeu depois que vários caíram de uma ponte durante oritual do apedrejamento do diabo em Mina.5/3/2001 - 35 morreram num tumulto durante o mesmo ritual emMina.1/2/2004 - 244 peregrinos morreram e um número similar ficouferido, alguns gravemente, num tumulto também durante o ritualem Mina.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.