Transexual processa empresa que o obrigou a trocar de roupa

Um transexual britânico está processando a companhia aérea norte-americana United Airlines, alegando que ele foi obrigado a se retirar de um avião e vestir roupas masculinas antes de realizar uma conexão de vôos. Richard Ward, também conhecido como Sarah West, estava em um avião que acabara de percorrer a rota de Omaha (Nebraska) a Chicago, onde deveria tomar uma conexão para Londres. Quando Ward mostrou seu passaporte britânico, identificando seu sexo, funcionários da United disseram a ele para deixar o aparelho e trocar de roupa, segundo a ação movida nesta quarta-feira na Corte do Condado de Cook. Ward, que pede cerca de US$ 50,000 de indenização, disse ter mostrado aos funcionários uma carta de seu médico em que este explica que é normal para Ward se vestir de mulher por causa do tratamento que faz para trocar de sexo.Mas, segundo Ward, os empregados lhe disseram que ele só viajaria se se parecesse mais com a foto do passaporte. A United Airlines afirmou que não recebeu ainda uma cópia da ação judicial e que por isso não comentaria o caso.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.