Transição não faz parte do vocabulário cubano, diz jornal oficial

O jornal oficial cubano Granma informou na edição desta sexta-feira que "a calma reina" na ilha. Sobre Raúl Castro, o periódico assegura que ele está "firme no comando da nação", enquanto seu irmão, Fidel Castro, se recupera de uma complexa cirurgia intestinal. "A maldita transição é uma palavra que não faz parte do vocabulário dos cubanos daqui. Para nós, as notícias de hoje são sobre trabalhar mais e melhor para cumprir o compromisso com Fidel", informa a publicação. O jornal acrescenta que "frente às frustradas esperanças contra a nação, a traição e as ameaças, nós nos ergueremos unidos, um uma luta incansável. Inúmeras mensagens que pedem pela rápida recuperação do comandante (Fidel Castro) continuam chegando ao país". Em tais mensagens, afirma o Granma, "o denominador comum é o desejo de melhoras, enquanto naquela cidade do sul da Flórida (Miami) continuam exacerbando ódio (contra Fidel)".O jornal também recorda que na quinta-feira o presidente americano, George W. Bush, fez "declarações inadmissíveis" em que demonstrou sua "eterna ignorância". Bush disse que Havana passa por momentos de insegurança e que seu país está totalmente comprometido com o apoio aos desejos de uma Cuba democrática. "De que insegurança estaria falando o presidente?", questiona o diário. O Granma aponta que a Fundação Nacional Cubano Americana (FNCA) "ameaçou revoltas civis e militares na ilha e pediu ao Exército cubano para dar um golpe de Estado. Esta é a maior evidência de que não conhecem nada". Assim mesmo, o diário assinala que "alguns representantes da extrema direita" trataram de criar leis ou projetos de leis "para acelerar a entrega dos 80 milhões de dólares que propõe o plano de Bush contra nosso país"."Ante de tais planos se reforçam a unidade e a força da Revolução. Nós cubanos estamos preparados para nos defender, como disse Fidel Castro em sua proclamação ao povo, e aí está Raul, firme frente ao timão da nação, das Forças Armadas Revolucionárias, que não são mais do que o povo uniformizado", afirma o jornal.Em uma nota divulgada na última segunda-feira, Fidel Castro anunciou que cedia provisoriamente todos os poderes de seu país a seu irmão, Raúl, seu substituto de acordo com a Constituição cubana vigente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.