Transparência não deve ser questionada, diz Khamenei

O líder supremo do Irã, o aiatolá Ali Khamenei, disse que os iranianos não deveriam questionar a transparência das eleições presidenciais que acontecerão neste ano, porque se fizerem isso servirão aos interesses dos inimigos do país. O discurso de Khamenei, transmitido pela televisão estatal, pareceu dirigido aos reformistas, que nas últimas semanas afirmaram várias vezes que as eleições presidenciais de junho precisam ser livres e justas.

AE, Agência Estado

08 de janeiro de 2013 | 14h41

O governo iraniano quer evitar a repetição dos protestos de 2009 que se seguiram à reeleição do presidente Mahmoud Ahmadinejad. A oposição afirmou que houve um enorme fraude. Khamenei disse que "potências hostis" desejam que as eleições tenham baixa participação do eleitorado. "Todas as pessoas deveriam ser cuidadosas com seus comentários e não servir ao desejo do inimigo", afirmou.

As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.