Trégua alivia bloqueio na Síria, dizem ativistas

Funcionários do governo sírio e rebeldes chegaram neste domingo a um acordo para aliviar o bloqueio que já dura semanas em Qudsaya, uma cidade controlada pelos rebeldes perto da capital síria, permitindo que alimentos cheguem aos civis no local pela primeira vez, disseram ativistas.

AE, Agência Estado

10 de novembro de 2013 | 10h21

A trégua é a mais recente a ser alcançada nos últimos meses entre o governo do presidente Bashar Assad e grupos rebeldes díspares no país devastado pela guerra. O acordo ocorreu, à medida que a Coalizão Nacional Síria, o principal grupo de oposição na Síria apoiado pelo Ocidente, iniciou o segundo dia de uma reunião de dois dias em Istambul para decidir se participará de uma conferência de paz planejada pelos EUA e a Rússia em Genebra. A Coalizão tem apelado por medidas de boa vontade, como a retirada dos cercos em áreas controladas pelos rebeldes.

O grupo ativista Qudsaya Media Team confirmou a trégua em um comunicado, mas forneceu poucos detalhes. No início de novembro, o grupo afirmou que os mercados locais tinham ficado sem comida e os habitantes mais pobres da região estavam passando fome.

Rami Abdurrahman, do Observatório Sírio para Direitos Humanos, disse que o acordo permitiu que alimentos e farinha de pão chegassem à cidade nos arredores de Damasco, que está sob bloqueio desde outubro. O Observatório acompanha a Síria por meio de uma rede de ativistas em terra. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
Síriaviolênciatrégua

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.