Trégua periclita: palestino é morto a tiros

Tropas israelenses mataram atiros neste sábado um palestino que tentava se infiltrar por umacerca entre a Faixa de Gaza e Israel, enquanto um emissárioamericano perseguia intensos esforços internacionais visandomanter uma relativa calma e consolidar detalhes de um frágilcessar-fogo.Em Gaza, um líder do grupo militante Jihad Islâmica foi detidopela polícia palestina, relataram testemunhas, mas liberadohoras depois.A detenção de ativistas envolvidos em ataquesantiisraelenses é uma condição-chave de Israel para acontinuação do cessar-fogo.A trégua também foi fortalecida pelo fato de até a noite dedeste sábado, Israel não ter retaliado o ataque suicida abomba promovido pelo grupo militante islâmico Hamas que matoudois soldados israelense no dia anterior em Gaza.Israelusualmente se vinga rapidamente de tais ataques.O subsecretário de Estado dos EUA William Burns disse neste sábado,depois de se reunir com o líder palestino Yasser Arafat, que osEstados Unidos esperam que os dois lados cumpram seuscompromissos com o cessar-fogo, que foi mediado pelo diretor daCIA, George Tenet."É óbvio que não pode haver uma solução militar para esteproblema", afirmou Burns a repórteres na cidade de Ramallah,Cisjordânia. "Apenas através de um processo político asegurança pode ser restabelecida".Como parte do crescente envolvimento americano, o secretáriode Estado dos EUA, Colin Powell, planeja começar uma viagem pela região naquinta-feira, após uma visita do primeiro-ministro de Israel, Ariel Sharon,a Washington.Num sinal da seriedade de seus esforços para manter a tréguaem vigor, Arafat ofereceu uma inusual garantia explícita de quecolonos judeus não deveriam ser alvejados por palestinos."Anuncio um total cessar-fogo, e a liderança palestina oaceita, e ele inclui todos os israelenses", afirmou neste sábado Arafatno Canal Dois da tevê israelense, respondendo a uma perguntasobre se os palestinos estavam proibidos de disparar contracolonos pelos termos da trégua.Ao mesmo tempo, um assessor de Arafat, Saeb Erekat, denunciouo que chamou de "terror dos colonos", uma referência a ataquesde colonos contra palestinos.Palestinos consideram todos osassentamentos judeus ilegais e já mataram mais de duas dúzias decolonos em emboscadas nas estradas durante os nove meses deviolência.Também neste sábado, o Exército israelense destruiu commotoniveladoras quatro construções na área de Rafah, ao longo dafronteira entre a Faixa de Gaza e o Egito, a fim de limpar oterreno e evitar ataques, afirmou um porta-voz militar.Autoridades palestinas disseram que 17 estruturas foramdestruídas e uma pessoa ficou ferida.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.