Trem bate em ônibus escolar no Egito e deixa ao menos 50 mortos

Cinquenta pessoas, a maioria crianças com idades entre 4 e 7 anos, morreram na colisão de um trem com um ônibus escolar ontem em Manfalut, cidade localizada a cerca de 300 quilômetros ao sul do Cairo, no Egito. O veículo cruzava a linha férrea quando foi atingido e se partiu ao meio com o impacto.

CAIRO, / AP e REUTERS, O Estado de S.Paulo

18 de novembro de 2012 | 02h02

Testemunhas afirmaram que as cancelas estavam abertas quando o trem atingiu o ônibus. O ministro dos Transportes, Mohamed Rashad, e o chefe da companhia ferroviária pediram demissão.

Foi a pior tragédia no país desde que o primeiro presidente eleito diretamente, Mohamed Morsi, assumiu o governo. Morsi prometeu punir os responsáveis.

A assessoria do governo declarou que, além dos 50 mortos, pelo menos 15 pessoas se feriram no acidente. As autoridades afirmaram que o funcionário que cuida da cancela estava dormindo na hora do acidente.

Os médicos presentes ao local disseram que o processo de identificação dos corpos será difícil. O primeiro-ministro egípcio, Hesham Kandil, determinou a abertura imediata de investigações e viajou para a região da tragédia.

Parentes das vítimas protestaram no local do acidente. No início do mês, pelo menos 3 egípcios morreram e mais de 30 ficaram feridos em uma colisão de trens em Fayoum, outra cidade ao sul do Cairo. Em julho, 15 pessoas se feriram em Gizé, perto da capital, quando um trem descarrilou.

O pior acidente com trens no Egito ocorreu em 2002, quando um incêndio atingiu 7 composições de um trem de passageiros, matando pelo menos 360 pessoas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.