Reprodução
Reprodução

Brasileira morre em acidente de trem em New Jersey

Fabiola, de 34 anos, estava na estação de Hoboken, que liga a região a Nova York, quando a locomotiva colidiu com a plataforma; 108 ficaram feridos

O Estado de S. Paulo

29 de setembro de 2016 | 11h07

NEW JERSEY, EUA - A advogada brasileira Fabíola Bittar de Kroon, de 34 anos, morreu nesta quinta-feira, 29, atingida por destroços, quando um trem repleto de passageiros se chocou contra uma plataforma na estação de Hoboken, em New Jersey, na hora do rush. Fabíola foi a única a morrer no acidente, que também deixou 108 feridos, alguns em estado grave, segundo o governador de New Jersey, Chris Christie.

Um funcionário do sistema de trânsito de Nova Jersey, Michael Larson, disse à imprensa que o trem colidiu com um bloco de concreto na entrada da estação. A força do impacto fez com que o trem saísse dos trilhos e colidisse com o teto do terminal, provocando uma grande destruição nas instalações.

Segundo a emissora NBC, Fabíola estava parada na plataforma da estação de Hoboken na hora do acidente. Casada e mãe de uma menina, ela havia se mudado para Hoboken no início de agosto.  

O seu perfil no LinkedIn afirma que Fabiola era advogada corporativa com experiência e graduação internacionais. Em seu perfil, consta que ela trabalhou para a empresa a SAP como advogada especialista em legislação brasileira. Em nota divulgada à imprensa americana, o porta-voz da empresa, Andy Kendzie, afirmou que ela trabalhou para seu departamento legal no Brasil até janeiro. A empresa, segundo ele, estava "profundamente entristecida" com a morte. 

O Departamento de Estado dos EUA entrou em contato com o Consulado do Brasil em Nova York e confirmou a identidade da brasileira. Informou que ela estava no país com visto de estudante e sua família se preparava nesta quinta-feira para viajar para os EUA. Ainda segundo o Departamento de Estado, o governo americano orientou o Consulado dos EUA no Brasil a agilizar os vistos para os parentes da brasileira. 

Em entrevista ao jornal New York Post, a mãe de Fabíola, Sueli Bittar, afirmou que seu genro, um holandês, havia informado a ela, na tarde desta quinta-feira, sobre a morte. Os dois viviam na Flórida antes antes de se mudar para Hoboken. Para ela, Fabíola estava na estação naquele momento porque procurava apartamento em algum local mais perto de Nova York.  O marido de Fabíola trabalha em uma empresa de Manhattan desde abril. 

Acidente. Testemunhas disseram que o comboio não freou e colidiu contra uma área entre a plataforma e o embarque de passageiros. “Ele simplesmente não parou”, disse uma das testemunhas na estação. “Veio direto contra as barreiras de proteção.”

Passageiros também confirmou que o trem não chegou a frear. “Voamos sobre o bloco no fim da via. Depois pânico. Havia gente tentando quebrar as janelas para sair do trem”, disse Jim Finan, que estava em um dos vagões.

De acordo com Finan, “quem viajava de pé saiu voando. Vi muitas pessoas com ferimentos na cabeça e com cortes”.

Segundo o departamento de trânsito de New Jersey, o trem vinha de Spring Valley, no Estado de Nova York. O acidente ocorreu às 8h45 locais (9h45 em Brasília). 

Chirstie declarou à CNN que não há indicações de que o ocorrido tenha sido algo além de um acidente. A rede MSNBC inicialmente relatou três mortos, citando autoridades médicas, mas depois atualizou o número para um morto. 

Jennifer Nelson, porta-voz da Autoridade de Transportes, disse a repórteres no local do acidente que não se sabia a razão pela qual o trem não conseguiu reduzir a velocidade ao entrar na estação. “Estamos analisando todas as causas que podem ter provocado este acidente”, disse.

Os feridos foram levados em macas para ambulâncias enquanto mais de 100 membros de equipes de resgate isolaram a área da estação. Dezenas de barcos da polícia pararam no Rio Hudson, que fica ao lado da estação.

Alguns passageiros ficaram presos em destroços, segundo testemunhas e autoridades, mas foram retirados posteriormente. O maquinista estava em estado crítico. Ainda não houve comentários sobre a causa do acidente. Investigadores federais estavam no local. “A única coisa que sabemos é que obviamente este trem estava viajando a uma velocidade razoavelmente alta”, disse Christie.

A estação é usada por muitos passageiros que vão de Nova Jersey para Manhattan, em Nova York. A estação é a quinta mais movimentada do Estado. As linhas de trem que chegam e partem de Hoboken – que liga New Jersey a Nova York – foram interrompidas temporariamente e os passageiros com destino a Nova York viajaram ontem para a cidade com auxílio de balsas.

O último acidente importante com trens nos Estados Unidos ocorreu em maio de 2015, quando um trem que havia saído de Washington em direção a Nova York descarrilou na Filadélfia, deixando 8 mortos e 200 feridos. / AP, REUTERS e AFP

Tudo o que sabemos sobre:
New JerseyEstados Unidos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.