Tremor causa mortes na Nova Zelândia

Premiê diz que não podia confirmar número de vítimas, mas tevês exibiam corpos sendo retirados dos escombros

, O Estado de S.Paulo

22 de fevereiro de 2011 | 00h00

WELLINGTON

A cidade de Christchurch, na Nova Zelândia, foi atingida hoje (horário local)por um segundo terremoto em menos de cinco meses, derrubando prédios, provocando mortes e incêndios.

O primeiro-ministro John Key disse ao Parlamento que ainda havia poucos detalhes para confirmar o número de mortos. A TV local mostrou corpos sendo retirados dos escombros espalhados pelo centro. A polícia informou que houve "várias mortes" após o terremoto de 6,3 graus na escala Richter que atingiu a cidade durante a movimentada hora do almoço.

Diferentemente do tremor do ano passado, que atingiu Christchurch no início da manhã quando as ruas estavam vazias, hoje avenidas, lojas e escritórios do município de quase 400 mil habitantes estavam cheios de gente.

O tremor ocorreu às 12h51 (20h51 em Brasília) a uma profundidade de apenas 4 quilômetros, segundo o site do Serviço Geológico dos Estados Unidos.

"É muito grande, muito grande", disse um padre a um repórter, ao lado dos destroços da catedral que foi reduzida a uma pilha de blocos de arenito. "Só não sei se há pessoas sob os destroços", ele disse, acrescentando depois com voz baixa: "Acho que sim".

O epicentro foi localizado a 10 quilômetros de Christchurch, atingida por um forte terremoto de 7,1 graus em setembro - cujo epicentro foi localizado a 30 quilômetros da cidade -, que causou graves danos generalizados, mas deixou poucos feridos. Desde então, a região tem sido atingida por milhares de réplicas.

"Há muitos danos, nossos televisores foram destruídos e há grandes rachaduras na casa", afirmou por telefone Nicholas Hextall, que mora no centro da cidade. O fornecimento de água e energia foi cortado.

Havia registros de escombros caindo de um prédio já danificado e pessoas sendo retiradas de alguns escritórios no centro financeiro, na medida em que inspeções eram feitas.

A mídia informou que edifícios foram danificados, automóveis foram soterrados pelos escombros, armários derrubados, além de uma ponte ter ficado intransitável. A TV local anunciou o fechamento do aeroporto da cidade.

A Nova Zelândia, que está entre as placas tectônicas do Pacífico e Indo-Australiana, registra uma média de mais de 14 mil terremotos por ano, dos quais cerca de 20 normalmente atingem magnitude 5. / REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.