Tremor de 7,8 graus apavora o México

Um terremoto de 7,8 graus na escala Richter abalou ontem o sudoeste do México, segundo o serviço sismológico do país. O tremor foi sentido nos Estados de Guerrero, Oaxaca, Chiapas e na Cidade do México. Aulas foram canceladas e ao menos 800 casas foram destruídas em razão do abalo, que afetou pontes e estradas. Até ontem à noite, não havia registro de mortes, mas 5 pessoas ficaram feridas em Oaxaca e 2 na Cidade do México.

CIDADE DO MÉXICO, O Estado de S.Paulo

21 Março 2012 | 03h03

Por meio de sua conta no microblog Twitter, o presidente Felipe Calderón tranquilizou a população. "Não foram registrados danos maiores", escreveu. "As instalações elétricas e o sistema de saúde funcionam normalmente. Na Cidade do México houve apenas cenas de pânico e retirada (de pessoas) de prédios."

De acordo com o Serviço Geológico dos EUA (USGS), três réplicas seguiram-se ao tremor, todas de intensidade inferior a 5,3 graus na escala Richter. O USGS estimou a magnitude do primeiro tremor em 7,4 graus.

Segundo o governador de Guerrero, Angel Aguirre, 500 casas foram destruídas no Estado, local do epicentro. A cidade de Omatepec, a mais próxima do local do abalo, teve danos materiais, com prédios e casas afetadas, mas sem mortes.

No Estado vizinho de Oaxaca, as aulas foram suspensas. Em Acapulco, popular destino turístico da costa do Pacífico mexicano, as escolas foram esvaziadas. Não houve danos aos hotéis da região.

A terra tremeu por volta do meio-dia (15 horas, no horário de Brasília). Na capital mexicana, milhares de pessoas correram assustadas para a rua. "Juro que nunca senti nada tão forte na minha vida", disse o empresário Sebastián Herrera. "Pensei que o prédio cairia." Mais de duas horas depois do abalo, alguns moradores da cidade ainda hesitavam em voltar para suas casas. O aeroporto local operava normalmente após o sismo, sentido também na Guatemala.

Segundo o prefeito da capital, Marcelo Ebrard, todos os serviços estratégicos da cidade estavam em funcionamento.

No Estado de Chiapas, no sul do México, autoridades locais faziam um exercício para a prevenção de danos de terremotos dois minutos antes do abalo. O alerta do falso terremoto foi confundido com o verdadeiro. Ao menos 19 mil escolas, empresas e órgãos públicos estavam inscritas no ensaio. Apesar da confusão, o treinamento foi concluído com sucesso.

A Casa Branca informou que Malia Obama, de 13 anos, filha do presidente Barack Obama, em viagem escolar ao país, está bem. "Em razão do terremoto de hoje, podemos confirmar que Malia está a salvo e nunca correu riscos", disse a porta-voz da primeira-dama Michelle Obama, Kristina Schalke. "Pedimos à imprensa que respeite a privacidade e a segurança da menina e não divulgue imagens dela enquanto não está com os pais."

O terremoto precedeu a chegada do papa Bento XVI ao país, marcada para o dia 23. O pontífice deve ficar três dias no México antes de seguir viagem para Cuba. A Cidade do México foi construída sobre um lago, o que potencializa o efeito de tremores. Um abalo de 8 graus na escala Richter em 1985 matou mais de 10 mil pessoas. / REUTERS e EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.