Tremor matou 30 da Federação de Futebol do Haiti

A União Caribenha de Futebol informou que pelo menos 30 membros da Federação de Futebol do Haiti, incluindo um número não determinado de jogadores, morreram em consequência do terremoto da última semana.

AE-AP, Agencia Estado

19 de janeiro de 2010 | 19h43

Segundo um relatório da Federação Internacional de Futebol (Fifa) divulgado hoje, a União Caribenha de Futebol disse que os mortos incluem jogadores, árbitros, técnicos e funcionários administrativos e da área médica da federação. A sede da federação desabou durante o terremoto. O relatório diz que o presidente de Federação, Yves Jean Bart, sobreviveu ao tremor.

O jamaicano Horace Burrell, vice-presidente da União Caribenha de Futebol, visitou o Haiti no final de semana. Ele disse que Bart informou a ele que pelo menos 30 membros da federação morreram. Bart afirmou que mais de 20 pessoas continuam sob os escombros ou estão desaparecidas.

Não está claro quantos jogadores estavam no prédio quando ele desabou.

Segundo o documento de Burrel, funcionários da federação realizavam uma reunião quando o terremoto aconteceu. "Palavras não podem descrever o que eu vi no Haiti. É de cortar o coração", disse Burrel em seu relatório ao vice-presidente da Fifa, Jack Warner, que também preside a região formada pelas Américas do Norte, Central e Caribe, conhecida como Concacaf.

Burrell disse que encontrou Bart no aeroporto.

"Seus ferimentos e curativos são lembranças de sua fuga de um prédio em ruínas", disse Burrel.

Warner disse que a Fifa, o organismo que rege o futebol em todo o mundo, vai doar US$ 250 mil para o Haiti. Segundo ele, o vice-presidente da entidade, Chung Moon-jung fará uma doação pessoal de US$ 500 mil. Warner declarou que vai contribuir com US$ 100 mil.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.