Tremor na China prende 8 turistas por 26 horas em teleférico

Resgate do grupo de 6 taiwaneses e 2 chineses é dificultado por falha nas comunicações em província atingida

Efe,

13 de maio de 2008 | 11h17

Um grupo de oito turistas chineses e taiwaneses que estava na região atingida pelo terremoto desta segunda-feira, na China, ficou preso por 26 horas em um teleférico da cidade de Dujiangyan, informou nesta terça-feira, 13, a agência estatal Xinhua.   Veja também: Mortos na China superam 12 mil; 28 mil estão soterrados Mau tempo dificulta resgates em cidade chinesa Réplica de 6,1 graus atinge capital de Sichuan Japão e UE oferecem ajuda às vítimas Entenda como acontecem os terremotos  Vídeo com imagens do terremoto  De Pequim, Cláudia Trevisan fala sobre o terremoto    Os oito turistas, seis de Taiwan e dois chineses, viajavam no teleférico para o Templo de Lingyan, em Dujiangyan, quando a terra tremeu, às 14h28 hora local de segunda-feira (3h28 em Brasília). As vítimas só foram resgatados às 16h15 de hoje (5h15 em Brasília). A chegada dos bombeiros ao local foi dificultada pela falha nas comunicações com Sichuan - a província mais afetada - e outras adjacentes.   A cidade de Dujiangyan, na lista de Patrimônio Mundial da Unesco, foi uma das mais próximas ao epicentro do terremoto (no distrito de Wenchuan), onde se encontra o primeiro-ministro chinês, Wen Jiabao, para coordenar os trabalhos de resgate. O contato com 2 mil turistas que se encontram na região devastada, entre eles 15 britânicos, dois americanos e um tailandês, foi perdido.   O terremoto, de 7,8 graus na escala Richter, é o pior sofrido pela China desde 1976, quando um tremor de terra da mesma magnitude deixou mais de 240 mil mortos em Tangshan.

Tudo o que sabemos sobre:
Chinaterremoto

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.