Tremor na Itália mata 7 e danifica prédios históricos

Igrejas e torres no nordeste do país sofrem com terremoto de 6 graus, que deixou 50 feridos e obrigou milhares a abandonar suas casas

ROMA, O Estado de S.Paulo

21 Maio 2012 | 03h03

Um terremoto de 6 graus na escala Richter foi registrado na madrugada de ontem no nordeste da Itália, deixando pelo menos sete mortos e dezenas de feridos na região da cidade de Ferrara, segundo o jornal Corriere della Sera. O tremor também danificou prédios históricos, entre eles um famoso castelo medieval do século 14.

Entre as vítimas está uma mulher de 106 anos, que morreu em sua cama após ser atingida pelo teto de sua casa, que ruiu. Cerca de 50 pessoas ficaram feridas na região de Ferrara. O tremor foi registrado por volta das 4 horas locais (9h de Brasília) e teve epicentro a 5 quilômetros de profundidade, em Finale Emilia, 36 quilômetros ao norte de Bolonha.

O terremoto foi sentido em todo o nordeste da Itália, incluindo Turim, Milão e Veneza. Fortes réplicas continuam sendo registradas na região. Uma delas chegou a provocar novos desabamentos na parte histórica das localidades de Sant'Agostino e Ferrara, as mais afetadas.

"Sentia a casa tremer, os móveis se mexiam, objetos caíam, as pessoas corriam como loucas", contou Claudio Bignami, aposentado que mora em San Carlo, nos arredores de Ferrara. "Senti muito medo", disse Alda Bregoli, também aposentada. "Não posso, nem quero, entrar em casa." De acordo com autoridades italianas, aproximadamente 3 mil pessoas não poderiam retornar às suas casas por causa do risco de desabamento.

Bem cultural. O patrimônio cultural da região também sofreu "danos notáveis", segundo uma nota divulgada pelo Ministério dos Bens Culturais. De acordo com o comunicado, o tremor causou desabamentos e rachaduras em algumas importantes igrejas da região.

A Itália conta com um patrimônio cultural incalculável, cuja fragilidade ficou evidente nos terremotos de setembro e outubro de 1997, em Umbria e Marcas, duas regiões no centro do país.

O castelo de Estense, símbolo da cidade de San Felice construído no século 14, foi severamente danificado pelo tremor. Suas torres menores tiveram seus topos derrubados e as autoridades temem que a torre principal possa cair, após ter sido enfraquecida por rachaduras.

"Perdemos praticamente todo o nosso patrimônio histórico e artístico", disse Alberto Silvestri, prefeito da cidade de San Felice. "Igrejas e torres caíram. O teatro ainda está de pé, mas tem rachaduras." A Torre do Relógio de Finale Emilia desabou, ferindo gravemente um bombeiro. Casas e campanários também desabaram em outras localidades, e hospitais foram desocupados por medida de segurança.

O terremoto também abalou fazendas na região conhecida pela produção de queijo parmesão e grana. Uma associação de produtores de queijo afirmou 200 mil queijos foram danificados, causando uma perda de cerca de 50 milhões. Já o Corriere della Sera estimou o prejuízo em 250 milhões. / AP, AFP e REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.