Tremores matam ao menos 180 e ferem mais de 1.300 no Irã

Número de mortos deve aumentar conforme as equipes cheguem aos locais afetados na manhã de domingo.

BBC Brasil, BBC

11 de agosto de 2012 | 22h09

Dois fortes tremores atingiram a região nordeste do Irã neste sábado, deixando ao menos 180 mortos e mais de 1.300 feridos. Linhas de comunicação e energia elétrica foram cortadas na região e os trabalhos de resgate só devem ser intensificados no domingo.

O primeiro terremoto, de magnitude 6,4, atingiu a cidade de Ahar, na região de Tabriz, às 16h53 no horário local (8h23 de Brasília) e de acordo com as autoridades locais os esforços de resgate foram dificultados com o início da noite.

De acordo com o Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS, na sigla em inglês), o tremor foi seguido de uma réplica de magnitude 6,3.

"O terremoto criou um pânico enorme entre as pessoas. Todos correram para as ruas e as sirenes de ambulâncias eram ouvidas por todos os lados", um morador de Tabriz disse à BBC.

As cidades de Haris e Varzaqab, na província do Azerbaijão do Leste, estão entre as que contabilizam até o momento o maior número de mortes, disse Khalil Saei, chefe do comitê local de crise, em entrevista à TV estatal iraniana.

O governo diz que ao menos quatro vilas foram completamente destruídas, e outras 60 sofreram danos entre 50% e 70%.

'Terror'

Dezenas de equipes de resgate foram enviadas à região, mas o cair da noite impediu em grande parte o trabalho em meio aos escombros.

A comunicação por telefone com a região afetada foi cortada, o que também dificulta os esforços para localizar sobreviventes.

O governo alerta que o número de mortos deve aumentar conforme as equipes cheguem aos lcoais mais afetados já nas primeiras horas da manhã deste domingo.

O presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, publicou um comunicado com condolências às vítimas no site da Presidência, chamando às autoridades locais para que "mobilizem todos os esforços para ajudar as pessoas afetadas".

O governo de Tabriz pediu que os moradores passem a noite fora de casa devido ao temor de novas réplicas do terremoto inicial durante esta noite.

"Minha família está realmente aterrorizada. Chegou a noite e não podemos dormir. O terremoto foi muito forte e violento. Houve ao menos dez réplicas, que duraram um total de dez minutos", disse à BBC Amina Zia, uma moradora de Tabriz.

Cientistas da Universidade de Teerã disseram que o segundo forte tremor chegou apenas alguns minutos após o terremoto inicial.

A República Islâmica está localizada sobre uma grande falha geológica, o que torna o país propenso à intensa atividade sísmica. Em 2003 um terremoto atingiu a cidade de Bam, deixando 25 mil mortos. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Tudo o que sabemos sobre:
alsoiraterremotostabriz

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.