Três agentes de inteligência são mortos no Paquistão

Supostos militantes do Paquistão mataram nesta quarta-feira três agentes paquistaneses de inteligência militar em uma região tribal do noroeste do país, segundo autoridades.

REUTERS

14 Setembro 2011 | 09h42

O Taliban paquistanês, considerado a maior ameaça ao governo local, tem se mostrado mais ousado em seus ataques desde que forças especiais dos EUA mataram o líder da rede al Qaeda, Osama bin Laden, em território paquistanês, em maio.

No ataque de quarta-feira militantes emboscaram um veículo que levava funcionários da Inteligência Interserviços (ISI), abrindo fogo a partir de vários pontos em uma estrada na região tribal de Bannu. Um quarto agente ficou ferido.

"O veículo pertencia à ISI e foi atacado com fuzis Kalashnikovs. Três pessoas foram mortas e uma ficou criticamente ferida", disse o policial Sajjad Khan à Reuters.

As vítimas eram agentes de baixo escalão da ISI, mais poderosa agência de inteligência do Paquistão, habitualmente descrita como um Estado dentro do Estado. Cabe à ISI estabelecer diretrizes para a segurança e a política externa, e supervisionar o combate aos militantes que lutam para derrubar o governo paquistanês, aliado dos EUA.

Segundo dados oficiais, cerca de 5.000 membros das forças de segurança e da polícia já foram mortos desde que os EUA aderiram à "guerra ao terrorismo" declarada pelos EUA há dez anos, depois dos atentados de 11 de setembro de 2001.

Na terça-feira, o Taliban reivindicou a autoria de um atentado a tiros contra um ônibus escolar em que cinco pessoas morreram, dizendo que as crianças a bordo eram membros de uma tribo pró-governo.

(Reportagem de Saud Mehsud)

Mais conteúdo sobre:
PAQUISTAO MORTES INTELIGENCIA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.