Três árabes são detidos nos EUA por mandar ajuda a Bagdá

Três pessoas de origem árabe foram detidas nos EUA por acusação de terem enviado ilegalmente milhões de dólares de ajuda ao Iraque com a cobertura de uma sociedade beneficente, informou o Departamento de Justiça. Os três acusados foram detidos pelo FBI na cidade de Syracuse, no estado de Nova York, enquanto um quarto acusado pelo mesmo delito se encontra atualmente na Jordânia. Segundo o Departamento de Justiça, um grupo denominado "Help the Needy" (?Ajude os Necessitados?), integrado por árabes e americanos de etnia árabe, recolheu fundos para supostos trabalhos beneficentes e, em seguida, transferiu a verba para o Iraque. O dinheiro saiu de bancos de Nova York em direção ao Jordan Islamic Bank em Amã, a capital da Jordânia, e de lá foi transferido para contas bancárias em Bagdá. O Departamento assegura ter detectado a transferência de pelo menos US$ 2,7 milhões para Bagdá nos últimos anos, "violando as disposições adotadas pelo governo dos EUA para as operações financeiras com o Iraque". Os detidos são o cancerologista Rafil Dhafir, o diretor executivo do "Help the Needy", Ayman Jarwan, e Osameh al Wahaidy, líder religioso muçulmano e docente universitário de matemática. A quarta pessoa envolvida, Mahe Zagha, é um ex-estudante de um colégio americano que agora vive em Amã. O Departamento de Justiça informou ainda sobre a prisão de uma quarta pessoa, Sami Omar Al-Hussayen, de nacionalidade saudita e estudante universitário em Idaho, por não ter revelado em seu pedido de visto que tinha vínculos com a organização Assembléia Islâmica da América do Norte. Esta organização reivindica os ataques suicidas e defende a legitimidade do uso de aviões como armas para semear o terror.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.