Samuel Corum / GETTY IMAGES/ AFP
Samuel Corum / GETTY IMAGES/ AFP

Três congressistas dos EUA testam positivo para covid-19 após invasão do Capitólio

Legisladores estavam entre dezenas de pessoas que se protegeram do ataque em uma sala e culpam parlamentares que se recusaram a usar máscara no local

Redação, O Estado de S.Paulo

12 de janeiro de 2021 | 17h23

WASHINGTON - Três legisladores democratas dos EUA testaram positivo para coronavírus após terem sido colocados em uma sala com outros parlamentares durante a invasão do Capitólio por extremistas pró-Trump.

O caso mais recente, divulgado na tarde desta terça-feira, 12, é o do deputado Brad Schneider. "Infelizmente, recebi um resultado de teste positivo para covid-19", revelou em sua conta no Twitter. Schneider compartilhou um vídeo que mostra republicanos sem máscaras na sala, afirmando que vários congressistas "se recusaram categoricamente" a usá-las.

Sua colega de partido, Pramila Jaypal, também denunciou o comportamento dos parlamentares. "Muitos republicanos se recusaram a tomar precauções mínimas contra covid-19 e usar uma máscara simples em uma sala lotada no meio de uma pandemia, desencadeando um incidente super-transmissor no meio de um ataque terrorista nacional", disse Jaypal, que também testou positivo para a doença e está em quarentena.

A deputada afirmou ainda que os republicanos "não só se recusaram a usar máscara, mas também zombaram dos colegas e do pessoal que as ofereceu".

Poucas horas antes, outra deputada democrata, Bonnie Watson Coleman, 75, anunciou que estava infectada. De acordo com um comunicado de seu gabinete, a parlamentar acredita que foi exposta ao coronavírus "devido aos distúrbios insurrecionais" na última quarta-feira.

O médico do Congresso, Brian Monahan, alertou as autoridades neste fim de semana que elas podem ter sido expostas ao coronavírus durante o o tempo em que ficaram abrigados da multidão de apoiadores de Trump. /AFP e AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.