Laurent Gillieron/Efe
Laurent Gillieron/Efe

Três crianças feridas em acidente de ônibus seguem em estado grave

Outras seis crianças feridas em colisão de ônibus na Suiça vão deixar o hospital nas próximas horas

Efe,

15 de março de 2012 | 10h09

GENEBRA - Três das 24 crianças feridas no acidente de ônibus registrado na terça-feira, 13, na Suíça seguem em estado muito grave, 15 se recuperam satisfatoriamente e seis terão alta nesta quinta, 15, informaram as autoridades suíças.

"As três crianças internadas no Centro Hospitalar Universitário de Vaud (CHUV) estão em um estado preocupante", apontaram as fontes.

O acidente aconteceu na noite da terça-feira no túnel da estrada A9, na altura da localidade de Sierre, no sul da Suíça, quando o ônibus, que retornava com crianças que haviam passado férias esquiando nos Alpes, se chocou contra uma parede.

Dos outros 21 feridos, 15 estão internados com diferentes graus de gravidade, embora nenhum deles corra risco de morte, explicou à Agência Efe Vincent Favre, porta-voz da polícia do cantão de Valais.

As outras seis crianças feridas "vão poder deixar o hospital nas próximas horas", afirmou Favre.

Todos os hospitais onde os feridos estão internados contam com tradutores e psicólogos para poder ajudar suas famílias.

As crianças feridas já foram reconhecidas por seus parentes, incluindo os dois menores cuja identidade era desconhecida nesta quarta-feira à noite.

Por outro lado, a identificação dos mortos está "muito difícil" devido ao estado em que os corpos ficaram após o forte impacto, declarou o porta-voz da polícia. Por essa razão, ainda não se sabe quando poderão ser repatriados à Bélgica.

O primeiro-ministro belga, Elio di Rupo, afirmou nesta madrugada, após retornar do local do acidente, que a repatriação dos corpos das vítimas não será feita até que todos estejam identificados. O governo belga disponibilizou dois aviões C-130 "Hércules" do Exército para transportá-los.

Algumas das famílias das vítimas, escoltadas pela polícia, foram na manhã desta quinta-feira ao túnel onde aconteceu o acidente, que ainda segue fechado à circulação.

Com relação às investigações, Favre informou que nesta quinta-feira o escritório do promotor local divulgará mais detalhes sobre as investigações para determinar quais foram as causas do acidente.

Até o momento não há nenhuma versão prioritária entre as três possíveis: erro humano, mal-estar súbito do motorista, ou falha técnica do ônibus.

Em Sierre, a localidade que abriga o túnel onde ocorreu a tragédia, será realizada nesta tarde uma cerimônia religiosa em uma igreja católica.

"Ainda não sabemos se o padre da cidade participará e no final será uma cerimônia religiosa para os fiéis da cidade que quiseram rezar pelas almas dos mortos", explicou François Genoud, prefeito do município de Sierre. 

 

Tudo o que sabemos sobre:
Suiçaacidenteônibus

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.