Reprodução/Ascom ALE-RR
Reprodução/Ascom ALE-RR

Três fotógrafos brasileiros ficam presos na Venezuela durante um dia

Eles foram detidos sob a alegação de que estariam espionando ao usarem um drone para fazer imagens da crise na fronteira

Redação, O Estado de S.Paulo

18 de junho de 2019 | 18h37

BOA VISTA - Três fotógrafos brasileiros foram presos na segunda-feira na cidade venezuelana de Santa Elena de Uiarén após cruzarem a fronteira do Brasil com a Venezuela,  informou nesta terça-feira a Comissão de Relações Fronteiriças da Assembleia Legislativa de Roraima. 

Segundo informações, eles foram presos por agentes da Guarda Nacional venezuelana sob a alegação de que estariam espionando. Eles estavam usando um drone para fazer imagens sobre a crise na fronteira, aparentemente sobre uma área de segurança.

Luan José Soares Silva, Gabriel de Rezende e Diego da Silva Veras, que trabalham como free lancer, tiveram suas câmeras, lentes e outros equipamentos apreendidos, além do drone. Eles foram levados para um quartel em Santa Elena. Após mais de 24 horas, foram liberados. Os equipamentos foram devolvidos, mas os registros apagados. 

A Comissão da Assembleia informou o Ministério das Relações Exteriores, o Consulado do Brasil na Venezuela, o Exército Brasileiro, através da Operação Acolhida, e o Consulado da Venezuela em Roraima, sobre o caso e pediu providências para que os fotógrafos regressem ao Brasil.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.