Três freiras italianas são encontradas mortas em país africano

Em dois casos, as mortes podem ter sido resultado de um roubo

O Estado de S. Paulo

08 de setembro de 2014 | 12h04

BUJUMBURA - Três freiras italianas foram encontradas mortas no fim de semana em uma paróquia ao norte da capital do Burundi, disseram autoridades e um padre do país africano nesta segunda-feira, 8. Segundo a polícia, dois suspeitos foram detidos para interrogatório.

O padre Mario Pulicini, responsável pela paróquia em um subúrbio no norte de Bujumbura, identificou duas das freiras encontradas no domingo: Lucia Pulici, de 75 anos, que comemoraria seu aniversário nesta segunda-feira, e Olga Raschietti, de 82 anos. Ele disse que os corpos foram encontrados nos dormitórios delas.

A terceira freira, Bernadetta Boggian, de 79 anos, foi encontrada morta na manhã desta segunda, disse o padre, acrescentando que as mortes aparentemente aconteceram em dois momentos diferentes. "É muito difícil saber o motivo por trás das mortes, mas nada pode justificar isso."

O Ministério de Relações Exteriores da Itália também confirmou as três mortes.

A diocese católica em Parma, Itália, disse em seu website que as mortes de Lucia e Olga aparentemente se tratavam do "trágico resultado de um roubo armado por uma pessoa mentalmente desequilibrada".

As duas freiras serviam em Burundi havia sete anos, após trabalharem vários anos no leste de outro país do centro africano, a República Democrática do Congo. / REUTERS

Mais conteúdo sobre:
Áfricafreiras mortas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.