Três fuzileiros navais dos EUA morrem em ação no Iraque

Três fuzileiros navais dos Estados Unidos morreram em ação neste sábado na província iraquiana de Anbar, a oeste de Bagdá, informou o comando militar americano no país árabe ocupado por meio de um comunicado. Os mortos faziam parte da 1ª Força Expedicionária de Fuzileiros Navais, responsável pela segurança de uma ampla área que vai do oeste de Bagdá às fronteiras do Iraque com Síria e Jordânia. O comunicado militar não trazia mais detalhes por "razões de segurança". Com as novas mortes, o número de soldados americanos abatidos desde o início da invasão do Iraque, em 20 de março de 2003, supera os 800. Ataques Ao longo do dia, soldados americanos entraram em choque com soldados leais ao clérigo muçulmano xiita Muqtada al-Sadr, colocando em risco um acordo para o fim de um sangrento impasse nas cidades sagradas de Najaf e Kufa. Explosões foram ouvidas perto da principal mesquita de Kufa, onde estão posicionados membros de uma milícia organizada por Al-Sadr. Milicianos acusaram os americanos de provocarem o confronto ao se aproximarem do centro da cidade. Oficiais do Exército dos Estados Unidos alegaram ter sido atacados com granadas propelidas por foguetes e responderam matando os supostos agressores. Não há informações precisas sobre o número de vítimas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.