Três mil soldados da Otan desembarcam no Afeganistão

Militares americanos seriam mandados para o Iraque; medida sinaliza mudança de foco na guerra contra terror

Agência Estado e Associated Press,

27 de janeiro de 2009 | 12h30

Milhares de soldados norte-americanos, que originalmente seguiriam para o Iraque, desembarcaram ao sul de Cabul, o primeiro sinal do novo direcionamento do foco militar nos confrontos no país do sul da Ásia, informou a Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) nesta terça-feira, 27. Cerca de 3 mil soldados norte-americanos da 3ª Brigada de Combate da 10ª Divisão de Montanha do Forte Drum, Nova York, foram para as províncias de Logar e Wardak, ao sul da capital afegã, informou a aliança militar. Eles servirão como parte da força de 55 mil homens da Otan no país.   Os últimos desembarques indicam uma mudança no foco das operações militares do Iraque para o Afeganistão, onde os Estados Unidos e seus aliados tentam reverter a situação após os ganhos conquistados pelo Taleban e apoiar o governo do presidente Hamid Karzai. Espera-se que o presidente Barack Obama duplique o número das tropas norte-americanas no Afeganistão neste ano. O país se tornou uma das prioridades de política externa norte-americana.   Há cerca de 70 mil soldados estrangeiros no Afeganistão, dentre eles 33 mil norte-americanos, o maior número desde que o Taleban foi deposto do poder após a invasão dos Estados Unidos em 2001. A maioria desses soldados, incluindo a nova brigada, luta sob o comando da Otan, cuja força é liderada por um general de quatro estrelas dos Estados Unidos. O ano de 2008 foi o mais mortífero para tropas estrangeiras desde a invasão, com 286 baixas, ante 222 do ano anterior. A Otan informou que dois soldados foram mortos terça-feira no sul afegão.   A nova brigada havia sido originalmente destinada a desembarcar no Iraque, mas foi oficialmente encaminhada para o Afeganistão em setembro, informou a Otan em comunicado. Esses novos soldados não fazem parte dos planos de Obama de enviar mais 30 mil soldados para o país. As duas províncias para onde as tropas foram enviadas tornaram-se áreas de atividade insurgente quase diária e de pouca presença do governo.   O vice-presidente Joe Biden disse domingo que o mundo não fez o bastante para prover recursos econômicos, políticos e militares para o Afeganistão e que os Estados Unidos e seus aliados carecem se uma estratégia coerente. O resultado é um país pendendo para o controle do Taleban, disse Biden. O enfoque da brigada para o próximo ano será ajudar a melhorar a segurança em Wardak e Logar e a força do governo, além da infraestrutura para a população local, disse a Otan.   "Nossos primeiros passos são levar as forças para essas áreas mais povoadas e começar a interagir com as pessoas", disse o coronel David B. Haight, comandante da unidade, em comunicado. "Conhecer o terreno humano é tão importante quanto conhecer o terreno das montanhas que circundam nossas futuras bases de operação", disse Haight.   Ressaltando a violência diária que aflige o país, a Otan informou que dois de seus soldados foram mortos no sul do Afeganistão, centro da insurgência do Taleban. A aliança militar não divulgou as nacionalidades dos soldados nem qualquer detalhe sobre as circunstâncias de suas mortes. Na mesma região, cinco combatentes do Taleban foram mortos numa batalha noturna com forças internacionais e afegãs, disse o chefe de polícia local, Assadullah Sherzad. Não houve mortos entre os soldados afegãos e estrangeiros.   O sul afegão é o centro da insurgência liderada pelo Afeganistão, que tem se espalhado nos últimos três anos para muitas áreas do país. Como parte de seu ressurgimento, os militantes contam cada vez mais com bombas colocadas na beira de Estradas. Uma bomba colocada na beira de uma estrada atingiu uma patrulha policial e feriu dois oficiais na terça-feira, na província de Kandahar, sul do país. A bomba explodiu no centro da cidade de Kandahar, a capital provincial, disse o chefe de polícia local, Matiullah Khan Qateh.   O ministro do Interior afegão disse que três civis foram mortos na noite de segunda-feira na província de Nangarhar, quando o veículo no qual estavam foi atingido por uma bomba detonada por controle remoto.

Tudo o que sabemos sobre:
OtanIraqueAfeganistãoEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.