Três morrem em protesto contra queima do Alcorão

Três pessoas morreram e 30 ficaram feridas após a polícia disparar contra manifestantes que infringiram um toque de recolher na Caxemira, na Índia. O toque de recolher foi imposto por autoridades locais depois que os protestos ficaram mais exacerbados, em reação ao plano do pastor americano Terry Jones de queimar exemplares do Alcorão em sua igreja, na Flórida.

AE-AP, Agência Estado

15 de setembro de 2010 | 11h31

A polêmica do Alcorão ressurgiu nesta quarta-feira, quando milhares de manifestantes se reuniram perto de uma escola cristã na cidade de Mendhar, aos gritos de "Morte aos profanadores do Alcorão!" e "Queremos liberdade!". A polícia utilizou gás lacrimogêneo e cassetetes para conter os manifestantes, que tentavam entrar na escola, além de dar tiros para o alto, segundo um policial que pediu anonimato. Apesar disso, três manifestantes morreram e 30 se feriram, afirmou a mesma fonte.

Os enfrentamentos ocorreram dois dias após 18 manifestantes e um policial morrerem em confrontos na rua, no pior incidente do tipo no país este ano, durante meses de protestos. O governo estuda como lidar com os protestos. O primeiro-ministro Manmohan Singh convocou nesta quarta-feira as principais figuras políticas da Índia para analisar a situação. Singh pediu calma e disse que o governo está disposto a dialogar com qualquer grupo pacífico.

Tudo o que sabemos sobre:
AlcorãoqueimaprotestoÍndiaCaxemira

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.