Três mortos e 18 feridos em ataque suicida no Sri Lanka

Um atacante suicida detonou hoje uma bomba que o matou juntamente com outras duas pessoas e deixou 18 feridos, em um ataque que pode ter sido planejado originalmente contra o primeiro-ministro do Sri Lanka, disseram autoridades. O governo culpou imediatamente a guerrilha separatista dos Tigres do Tamil Eelam, que luta pela independência de uma área ao norte do país. O homem, de pouco mais de 20 anos, e as duas vítimas morreram instantaneamente. Dos 18 feridos, cinco são policiais. Segundo fontes hospitalares, sete dos feridos estão em estado grave. De acordo com a polícia, o atacante acabara de passar em sua motocicleta por um posto policial em Colombo quando foi parado por agentes. A polícia estava particularmente atenta porque o primeiro-ministro Ratnasiri Wickramanayake assistia a uma função oficial na área. Depois de o homem não ter conseguido explicar o que estava fazendo ali, três policiais tentaram detê-lo, mas o suicida ativou o explosivo. "O atacante suicida dos Tigres de Libertação Eelam não conseguiu cumprir sua missão e acabou ferindo e matando civis inocentes", disse o governo em uma declaração. O comboio do premier havia passado pela mesma rua meia hora antes do ataque. No momento da explosão, Wickramanayake encontrava-se a um quilômetro do local.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.